Sobre mim

Um pouco da minha história..

Por que a Nutrição?

Nasci e morei no interior até meus  17 anos, uma infância e adolescência cheia de dúvidas, indecisões e ansiedades.. Mas uma coisa eu sempre tive certeza: queria me tornar Nutricionista. Lembro-me que desde a 6 ou 7º série eu queria fazer nutrição. O por que? Eu não sabia, muito depois fui descobrir o motivo, já já conto para vocês.

Em 2011 fiz o Enem e consegui PROUNI na PUCRS começando a faculdade em 2012. Era lá que eu ia me tornar Nutricionista, na verdade eu tinha um pressentimento que lá onde eu iria estudar. Muita coisa aconteceu nos 4 anos de faculdade, pra começar por um motivo pessoal eu comecei tratamento com psicóloga, pois tinha alguns sintomas mas não sabia o que era e depois fui descobrir que era a tal da ansiedade.

Por que o Comportamento Alimentar?

Em 2016 eu me formei, porém quando comecei a atender, via que os pacientes não retornavam quando eu dava dietas calculadas e restritivas e isso me frustrava e frustava meus pacientes.. logo vi que o caminho era o comportamento alimentar e comecei a estudar mais o assunto com cursos pagos, gratuitos, livros e artigos.

Escolhi atender no consultório pois é onde eu mais me identifico, me conecto comigo e com os pacientes. Já na primeira semana de formada eu fiz um curso sobre comportamento alimentar para entender mais sobre como mudar o comportamento…
Eu sempre quis ver as pessoas assim, como nessa foto: felizes, comendo o que gostam e não sofrendo em relação a comida.. acredito em uma nutrição gentil, compassiva e que respeita hábitos culturais, crenças, preferências e tento me colocar sempre no lugar do paciente, entender a motivação de fazer o que fazem e comer o que comem.. Pois somos todos humanos, temos diferentes corpos, cultura, economia… E é nisso que eu acredito até hoje!

Sobre o vegetarianismo

O vegetarianismo entrou na minha vida quando comecei a seguir uma nutricionista que eu admiro muito e é vegana e traz várias reflexões sobre o tema no instagram dela.. Quando eu comecei a entender um pouco mais, vi que a maioria dos profissionais não estavam capacitados para atender esse público e eu comecei a estudar mais e meu olho brilhou ainda mais na nutrição.
Na minha experiência pessoal, em 2018 reduzi consideravelmente o consumo de carne (peixe também) e me tornei vegetariana no começo de 2019. Estudando mais sobre o tema, percebi que uma das partes da nutrição que mais fazem sentido para mim, é esta: um mundo melhor, para as pessoas, para os animais e para o planeta, isso também é consciência alimentar. Lembrando que, eu sei que cada um tem sua escolha e eu respeito quem come carne também, entendo há um momento para cada um.

Minha história com o Mindfulness

Em 2019, Conheci e me aproximei de pessoas incríveis que me mostraram o caminho: os estudos e a pesquisa. Entrei para uma pesquisa da qual me orgulho muito de fazer parte: Uma intervenção baseada em Mindfulness para pessoas em Hemodiálise (#HemoMindfulProgram).

Fiz um Programa de Mindfulness para Qualidade de Vida de 8 semanas com dois grandes professores: Angélica e Breno. Este programa me auxiliou muito a perceber que precisava cuidar mais de mim, em todos os sentidos. Reduziu minha ansiedade, entrar em contato com as dificuldades não é fácil, mas necessário para que aceitarmos com gentileza o que está aqui e agora.


Mindful Eating

Quando conheci o mindfulness, vi que o caminho era ali e que conectar a consciência com a alimentação tinha tudo a ver, afinal, era o que eu mais vejo nos pacientes: a desconexão consigo, com a comida e com o mundo. . Comecei a aplicar o mindfulness informalmente com os pacientes mas eu ainda não me sentia completa e comecei a sonhar em ser instrutora de mindful eating. Agora, em 2021, um anjo que eu já admirava: @joaomotarelli_nutri que trouxe a formação online para o Brasil, então tive a oportunidade de fazer a formação profissional em Treinamento de Consciência Alimentar Baseado em Mindfulness (MBEAT) com a Andrea Lieberstein. Vi diversas formações mas como sempre alinho minha conduta no consultório e na vida baseado em evidência científica, era o único protocolo/programa que mostra resultados positivos na mudança de comportamento. . Enfim, me tornei Instrutora de Mindful Eating (ainda em formação, mas logo virá o título de qualificada). E agora estudando mais a fundo o tema, percebo que me sinto completa e que cheguei onde eu queria. . Sempre temos outros planos, mas um passo de cada vez e sempre atenta no momento de agora.

O que eu faço agora…

Nutricionista formada pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2016).

Capacitada em Nutrição Vegetariana pela Sociedade Vegetariana Brasileira (2018).

Aperfeiçoada em Nutrição Clínica em Pediatria Geral no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (2019).

Curso Interativo de Transtornos Alimentares para Profissionais de Saúde – Dr. Higor Caldato, Dra. Mônica Duchesne e Luna Azevedo.

Instrutora de Mindful Eating (MB-EAT) pelo Mindful Eating Training Institute (METI) (2021).

Pesquisadora no Grupo de Pesquisa em Comportamento Alimentar e MERC – Pesquisa em Modificação no Estilo de Vida coordenado pela Profa. Dra. Ana Maria Pandolfo Feoli e Andréia Gustavo este grupo têm como ênfase estudos em comportamento alimentar, mindfulness na hemodiálise, entrevista motivacional e modelo transteórico de mudança.